28.3.14

são as águas de março

Sim. Teve pau, pedra, fim de caminho e novos caminhos surgindo do nada. Retornos. Teve muito folk-cristão no fone de ouvido (Deus abençoe mais Os Arrais, Rafael Porto, Edaurdo Mano e Cia). Gente antiga, gente nova. Teve tumulto, amarguras e confusão com mil momentos diminutos de felicidade no meio. Houveram viagens e paradas. Vias nas estradas, nas nuvens. Teve calor e mais calor e um pouco mais de calor. Teve novas teorias reafirmando antigos sonhos. Teve riso solto e lágrimas contidas. Teve a atuação poderosa de Deus: em coisas grandes e em coisas bem pequeninas. Teve cansaço e sossego. E mil e um equívocos. Teve esperança e mais esperança. Teve mistério profundo, teve vida e sol. Teve resto de toco e  um pouco sozinho. São as águas de março (cadê as águas?) fechando o verão, é promessa de mais vida no meu coração.

Teve poesia em todo lugar


Teve boas previsões.

Teve piquenique, comunhão, novos afetos

Teve reunião de clã. Família unida é tão amor.

Teve idade nova e velhice abraçando

Teve até logo de cumadi.

E o adeus, da estagiária, amiga e agora mestranda maravilhosa.

Muito café

Teve formatura das amigas. Enfim médicas!!!

Altas metas no Skoob.

Novos projetos

Angústias, revoltas, incômodos.

Cartas, apesar da eterna greve dos Correios <3.

Um novo super e grande amor na família. Seja bem vindo Gus <3.

Teve nuvens catadas, guardadas e catalogadas.

Livros, mais livros, mais mais mais.

Teve Maleta Futura e as mil lições que as crianças me dão.

Teve a unidade que traz a glória do Senhor <3.

Teve cuzcuz e risadas (Lampião Aceso, aquele abraço!)

Tiveram aquelas viagens: Boas, tão boas. Boa Viagem.

Teve evangelismo, manifestação do Reino.

Teve o amor que não se mede, todos os dias. O amor que me conduz em triunfo, que me salva, cura e restaura. Teve amor. E sempre terá.

Ailma,
árvore plantada junto a ribeiros de água, muito prazer!

 
cata nuvens © Todos os direitos reservados | Ilustração :: Monoco | voltar para o topo