11.1.13

You can't stop the beat

Pois é. Musicais! Esse gênero tão subestimado por todos. Eu faço parte do pequeno grupo de pessoas que amam esse tipo de atuação e por isso fiz uma lista com minhas quatorze canções favoritas de musicais. A escolha dessas músicas nada tem a ver com qualidade técnica e coisas afins; eu as elegi pela capacidade delas de tocar a minha alma e falar de mim para mim mesma.


1. Defying Gravity do musical Wicked.



Essa canção foi feita para mim. Ouvir a Elphaba (versão Idina Menzel forever, please!) me dizendo que é preciso desafiar as imposições é inspirador. É uma canção para batalhas. Não se conformar com os limites impostos. Adoro esse momento da Elfinha, quando ela chuta o pau da barraca e vai a luta e desafia a gravidade, afinal é preciso voar. Na verdade, todo o musical é meu. Ser uma moça verde, rejeitada pelos pais, inconformada com a situação política e vivendo à sombra da beleza de Glinda não é fácil.




2. I dreamer a dream do musical Os miseráveis.




Sou apaixonada pela Fantine e quando ela canta no musical que apesar dos muitos sonhos vieram tigres a noite, eu fico arrepiada, a simples menção do "but tigers come a night" me deixa emocionada. Quantos não tem sonhos que são destroçados por tigres todas as noites? Quantos sonhos a vida não tratou de destruir? Contudo, continuamos sonhando. Somos meio Fantine mesmo.


3. I know where I've been do musical Hairspray.




Adoro a proposta de Hairspray: falar sobre diversidade e questão racial de um jeito mais leve e nem por isso menos certeiro. O filme é um sopro de otimismo, uma mostra de toda a esperança que os anos 1960 trouxeram com eles. Gosto muito das canções de Hairspray, especialmente as que se referem à diversidade e a luta por dias melhores. Entretanto negra como sou, me sinto acolhida por essa canção interpretada por Queen Latifah. A cena é perfeita: um protesto pacífico e uma lembrança de que cada passo livre que eu dou como negra é o resultado de muita luta de meus antepassados. Claro que isso é muito mais visível nos EUA; aqui colocamos esparadrapo nessa ferida e fingimos que ela não existe. Isso não significa dizer que a dor seja menor. É bom pensar que "o sonho" de Luther King está mais perto hoje do que antes. Hairspray celebra isso. Também vale a pena conferir as músicas  You Can't Stop The Beat e Welcome To The 60's.

4. Le It Be do musical Across The Universe



Esse filme é um xodó meu. Escolheram as melhores e mais lindas canções dos Beatles com interpretações perfeitas (na verdade sinto falta de Blackbird, mas tudo bem). Adoro Dear Prudence, Strawberry Fields Forever, Lucy in the sky, Because e I want to hold your hand. Mas Le It Be é o ponto alto do filme; passei a gostar dessa musica após essa interpretação. E nas horas mais trash, respiro fundo e repito para mim mesma como uma prece: le it be.

5. No je ne regrette rien do fiilme Piaf. Um hino ao amor.



Quando penso na França automaticamente me vem a cabeça: Bastilha, o Conde de Monte Cristo, Versalhes, Victor Hugo, Maria Antonieta, ratatouile, Notre Dame, Voltarie e Piaf. 
O filme é lindo, sem palavras e de todas as músicas de Edith, No je ne regrette rien é a mais sublime. É vibrante, passional e estimulante. É um belo epitáfio, um a altura do passarinho francês. Uma música que nos convida a ter uma vida fabulosa também.

6. Funny Girl do musical Funny Girl



Tá aí outro filme que não canso de assistir e que gosto tanto das canções que foi difícil escolher (Don't rain my parade, sorry please!).
Amo essa canção. Parece que Barbra canta para mim, me serve como uma luva. Volta e meia ouço o fatídico: Você é muito divertida/ engraçada.  E murcho. O resultado é que sempre sempre sempre sou a ótima amiga irônica que serve pra gente rir da vida e só. As vezes é frustrante ser Funny Girl.

7. Falling Slowly do filme Apenas uma vez




Acho que sinceramente vencer o Oscar é pouco pra essa música. Melodia perfeita; a sincronia dos interpretes é uma epifania. Ouço essa canção quase todos os dias. E penso que muitas vezes quis dizer isso a quase estranhos, e como eles não passam pela minha vida, digo a mim mesma.
Apenas uma vez conta uma história perfeita com uma trilha sonora a altura.

8. Through Heaven's Eyes do filme O príncipe do Egito.



Meu filme favorito da Disney. Como eu amo O Príncipe do Egito, sou louca por todas as canções e acho que o desenho coloca Moisés sob uma perspectiva perfeita. O filho adotado de Faraó que se volta contra seu irmão. De todas as lindas canções do filme Olhar com o olhar do céu é para mim a mais perfeita. Eu amo essa lógica de que Deus nos olha sob um ângulo diferente e não nos julga segundo os nossos feitos. Essa é uma canção de muita esperança e de novos começos.

9. Over the rainbow do filme O mágico de Oz.



Tem coisa mais linda que ouvir a Dorothy perguntar ao Totó em meio a paisagem árida do Kansas se um lugar sem problemas existe?
Pra mim não. Quero muito ainda ir a esse lugar com balas de limão, além do arco íris. Sei que esse lugar não é o país de Oz. É muito melhor. Não tem mágicos trapaceiros, nem bruxas em sapatos brilhantes. Talvez tenha uma estrada de tijolos amarelos, vai ver já estamos trilhando nela e nem sabemos.

10. Mr. Cellophane do musical Chicago



Cada palavra do Mr. Cellophane nesta canção é um soco em mim, pois frequentemente me sinto descartável e invisível feito ele. As vezes patética também. E porque não?!! A invisibilidade nos dá a falsa sensação de que somos importantes quando na verdade passamos despercebidos.

11.  Reflection do filme Mulan.



A Mulan é uma revolucionária. Amo esse filme, pois uma moça desastrada e fora do padrão (eu, eu, eu); rompe todas as regras sociais e se junta ao exercito. Essa canção fala de como é difícil fazer parte do padrão e também quebrar quebrá-lo. A Mulan é uma linda, cheia de dúvidas e inquietações; esforçada e determinada a ser a melhor num exercito (quer instituição mais refúgio da masculinidade?) imperial da China, que na época fazia questão de compreender que mulher não existe, é uma propriedade. Mulan se faz ouvir e deixa as feministas como eu cheia de orgulho bobo.

12. Something's Coming do musical West Side History



O Tony é uma pessoa fácil de se gostar e essa música é otimismo puro. Numa América complicada para pobres e latinos, o Tony me vem com uma confiança absurda que coisas boas podem acontecer apesar de tudo. Essa certeza que a canção dá que as coisas boas estão chegando deixam a gente meio otimista de que esses milagres vão nos alcançar também.

13. For Good do musical Wicked


A música mais perfeita de todos os tempos quando o assunto é amizade. A canção é o retrato de uma amizade improvável e com um afeto poderoso. Sempre penso em meus amigos ao ouvir essa melodia. Por mim dizia isso a eles sempre. Na verdade todas as músicas de Wicked são perfeitas. Não adianta discutir comigo. É fato.

14. Out Here On My Own do musical Fama


O hino dos outsides. Consequentemente, o meu hino.
Todas as perguntas dessa  música são feitas por mim toda noite. Como uma boa outside vivo cada palavra da letra dessa canção...!


Enfim, depois falo sobre outras canções de outros musicais. Só agora me dei conta que negligenciei musicais que amo, mas em outro post falarei das canções de Evita, A bela e a fera, O fantasma da ópera, Cantando na chuva, entre outros.


1 !:

Andreia disse...

Realmente a Mulan é uma autentica heroína. Não só se negou a ser "uma mais", como demostrou que até uma mulher é capaz de se juntar ao exercito e de ter a aprovação do rei! Nem toda a gente pode dizer o mesmo.

Gostei do post. :)

beijokas

Ailma,
árvore plantada junto a ribeiros de água, muito prazer!

 
cata nuvens © Todos os direitos reservados | Ilustração :: Monoco | voltar para o topo