6.10.12

maranata



Todo o sentido da minha vida passa pela verdade eterna do amor de Cristo na cruz. Lá eu começo. E recomeço. Um dia quando a noite cair sobre o mundo, Cair Paravel, Valinor, Macondo ou País da Esmeraldas não bastarão. Eu irei enfim ao encontro preparado desde a fundação do mundo com o Filho do Imperador-de-Além-Mar. Mergulharei na onda sem medo de me afogar. 
E então o País de Aslan será enfim o meu também. 
Pelas jubas do Leão, toda essa infinita higway terá valido a pena.
 E tudo será poesia. 

Ailma,
árvore plantada junto a ribeiros de água, muito prazer!

 
cata nuvens © Todos os direitos reservados | Ilustração :: Monoco | voltar para o topo