10.7.12

cheiro de infância.


O tamarindo mais sua sombra: aquilo era feito para abraçar saudades. Minha infância fazia ninho nessa árvore. Em minhas tardes de menino, eu subia ao último ramo como se  em um ombro gigante e ficava cego para assuntos terrenos. Contemplava era o que no céu se cultiva: plantação de nuvem, rabisco de pássaro.

Mia Couto

Apesar de detestar tamarindo quando li esse trecho lembrei do pé de umbu que tinha na roça de meu tio onde eu perdia minhas tardes.

Ailma,
árvore plantada junto a ribeiros de água, muito prazer!

 
cata nuvens © Todos os direitos reservados | Ilustração :: Monoco | voltar para o topo