5.6.12

da falta que ele me faz


"Penso que sendo o céu redondo, um dia nos encontraremos..."


(Cecília Meireles)



Então, agora você se vai. E a falta fica. Adorei o recadinho com a frase da Cecília. Meu consolo é pensar que um dia a gente vai se encontrar novamente. E vai ser bom e não vai ser estranho. Com você sempre é familiar. Acho que é assim por causa desse reconhecimento louco de nossas almas que acreditam que são iguais. E são.
Vou sentir sua falta. Falta de tua chatice mórbida. Falta de tuas dicas de filmes de livros. Falta do jeito estranho que você arruma o óculos. Falta de você no Skype. Fico contente que você corra o mundo enquanto eu corro o nosso Pernambuco. Pouca gente me ouve como você. Pouca gente me entende como você. Por isso minha tristezinha aumenta. Com quem vou dividir meus dilemas minúsculos? Se amigo é casa. Você foi meu quarto. É mesmo possível uma pessoa se sentir tão a vontade com outra assim?
Vá pra Uganda. Seja útil e importante na vida de outras pessoas como você tem sido na minha.

e Tavinho, leva meu afeto com você. Desembrulha ele do papel e lembra de que nós somos prova do cuidado de Deus e como diria minha amiga Luci, os fios invisíveis de Deus continuarão nos conectando pela vida afora, entre latitudes e longitudes.
Você vai ficar pra sempre em minhas histórias, minha orações e meu coração.

Ailma,
árvore plantada junto a ribeiros de água, muito prazer!

 
cata nuvens © Todos os direitos reservados | Ilustração :: Monoco | voltar para o topo