29.4.12

invisível?



Quando eu era criança tinha um sonho secreto: queria ter uma amiga invisível. Mas eu não conseguia ter; faltava-me imaginação para tanto.
Hoje eu tenho uma amiga invisível, mas antes ela não era assim. Eu a conheço desde 1999. Primeiro ela era tímida, depois entrou no rol de minhas melhores amigas. Foram sete anos dividindo manhãs e por vezes tardes e noites. A casa dela já foi QG do grupo. Quantos filmes não vimos lá? Tivemos a vergonha coletiva de assistir  Brokeback Moutain com o irmão mais velho dela na sala. Ela me apresentou Persuasão, o filme. Quantas vezes não me diverti nessa vida com ela por perto?
E aí, de repente: Puft! Ela  desapareceu. Sumiu sem mais ou menos e sem deixar rastro. E eu pensei: perdi uma das melhores!
Aí nos reunimos mil e três vezes: Bis Burguer, cinema, batepapo, formaturas, casamento, cafezinho, almoço... E nada dela.
Numa tarde dessas perdida descobri: ela não sumiu e não deixou de ser minha amiga (alívio): ela se tornou invisível. Não podemos vê-la, mas podemos amá-la e sempre perdoar sua ausência.
Agora que tenho uma amiga invisível decidi que não quero mais, quero minha amiga de volta, com sua cara de bolacha maria e seus complexos. Quero ver Emma e Razão&Sensibilidade com ela. 
Não existem estrelas de quatro pontas, falta você aqui. Você não cansou ainda de ser invisível?

Ailma,
árvore plantada junto a ribeiros de água, muito prazer!

 
cata nuvens © Todos os direitos reservados | Ilustração :: Monoco | voltar para o topo